Eventos Externos

O SOM COMO VIBRAÇÃO DA VIDA | CONFERÊNCIA | MUSEU BERARDO | 17.10.2018 ! 18H

Rizoma, 2018, obra sonoluminescente de Jonas Runa.

Foto: © Fernando Pina/Cortesia Jonas Runa Studio.

O SOM COMO VIBRAÇÃO DA VIDA.

Conferência de João Manuel Marques Carrilho (JONAS RUNA) no Museu Berardo.

Quarta-feira, 17 de outubro, às 18h00. Auditório do Museu Coleção Berardo. Entrada gratuita, sujeita ao número de lugares disponíveis.

O som tem um potencial imenso para a pesquisa científica e artística, uma vez que revela ligações profundas tanto à física fundamental quanto à psique humana. Nesta conferência, abordar-se-ão de forma anárquica (1) as relações entre o som enquanto entidade científica e o som enquanto perceção, (2) as consequências da autonomia do ruído e (3) as fronteiras entre a computabilidade e a criatividade na música eletrónica de arte, do ponto de vista da artistic research *.

Os três problemas são pistas que por fim permitem não só chegar à interpretação da consciência como a música da natureza mas também esboçar um conceito da filosofia da música desenvolvido em colaboração com o musicólogo Jorge Lima Barreto — a Energia Musical Irrealizada.

*Artistic research: pesquisa interdisciplinar, englobando ciência, técnica, teoria e/ou tecnologia, que assenta na criação artística do próprio autor; música como arte-ciência.

Conferência apresentada no âmbito do VIII Ciclo de Conferências Internacionais sobre Arte, História e Pensamento, organizado pela Escola de Comunicação, Artes e Tecnologias de Informação da Universidade Lusófona, em conjunto com o Museu Coleção Berardo.

+ Info: lm@jonasruna.com | +351 934 397 005

Biografia

Artista, Compositor e Investigador. Doutorado em Ciência e Tecnologia das Artes, Professor Universitário de Ciência e Tecnologia do Som, na Universidade Lusófona. As suas obras foram apresentadas no Museo Guggenheim Bilbao, nas 55.ª e 56.ª Bienais de Veneza, no 798 Art District (Pequim), no ARoS Aarhus Kunstmuseum, na Galerie Scheffel (Frankfurt), na Logos Foundation (Gent), no Museo de Arte Contemporáneo (Santiago do Chile), no Théâtre de la Ville (Paris), no Arnold Schoenberg Hall (Haia), na Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa) e na Casa da Música (Porto), entre outros. 

Com Jorge Lima Barreto, criou o duo Zul Zelub, para piano e música eletrónica de arte.

Conferência "Corta e cose. Justaposições entre arquitetura e cinema", por Luís Urbano |MCB

Quarta-feira | 26 de Setembro  

Auditório do Museu Colecção Berardo | 18h Entrada Livre.

Abstract:

A partir dos conceitos de projecto, enquadramento, luz, montagem, movimento, tempo e lugar, serão exploradas justaposições entre a arquitetura e o cinema, analisando a forma como o espaço arquitetónico e urbano, real ou encenado, é um elemento constituinte das imagens em movimento. De igual modo, serão examinadas as múltiplas dimensões em que o cinema pode ser encarado como uma ferramenta no processo criativo, na percepção e na disseminação da arquitetura. Exemplos dessa relação são a omnipresença da cidade ao longo da história do cinema ou a representação da profissão de arquiteto nos filmes. Será destacada a forma como o cinema possui a capacidade de criar um ‘sentido de lugar’, representando os espaços arquitetónicos como lugares ‘habitados’, fenómeno relacionado não apenas com a realidade física dos cenários filmados, mas igualmente com a ligação vivencial que o espectador estabelece com a luz, o som, a mise-en-scène ou estrutura narrativa.​

 

Conferencista:

Luís Urbano é arquiteto e docente da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto (FAUP). Licenciou-se na Universidade de Coimbra em 1998 e concluiu o doutoramento na FAUP em 2015. Escreveu artigos e apresentou comunicações sobre as interseções entre a arquitetura e o cinema em diversas publicações e conferências. Coordenou o Workshop “Cinemarchitecture” (2008, 2009 e 2010), o Curso de Verão “Arquitetura e Cinema” (2010, 2011 e 2012) e organizou os Seminários “Portugal 1960-74” (2010), “Revoluções” (2011) e a Conferência Internacional “Inter[Sections]” (2013). Na FAUP, coordenou o Projeto de Investigação “Ruptura Silenciosa”, no âmbito do qual produziu dez curtas-metragens. É editor da revista “JACK – Journal on Architecture and Cinema” e dos livros "Designing Light" (2007), “Mundo Perfeito” (2008), “Revoluções. Arquitectura e Cinema nos anos 60/70” (2013) e “Circa 1963. Conversas com arquitetos e cineastas” (2018). É autor do livro “Histórias Simples. Textos sobre Arquitectura e Cinema” (2013) e das curtas-metragens “Sizígia” (2012), “A Casa do Lado” (2012) e “Como se desenha uma casa” (2014).​

Encontro com António-Pedro Vasconcelos | 20 de junho 18h30

ENCONTRO COM ANTÓNIO-PEDRO VASCONCELOS

quarta-feira, dia 20 de junho, às 18h30 | SALA M. FÉLIX RIBEIRO

Entrada livre mediante levantamento de ingressos na bilheteira

Tem lugar já na próxima quarta-feira, dia 20 de junho, um dos pontos altos da retrospetiva integral que a Cinemateca dedica a António-Pedro Vasconcelos durante os meses de junho e julho: um encontro entre o cineasta e o público, sobre a sua obra desde o final dos anos 1960 até aos dias de hoje.

O encontro realiza-se na Sala M. Félix Ribeiro às 18h30 e tem entrada livre, mediante o levantamento de ingressos na Bilheteira.

Recorde-se que ao longo da primeira parte da retrospetiva (entre 14 e 30 de junho), António-Pedro Vasconcelos estará na Cinemateca a acompanhar todas as sessões, apresentando filmes e debatendo com o público.

O programa da retrospetiva pode ser consultado aqui.

Este fim de semana na Cinemateca - 16 e 17 de Junho

16/06/2018, 15H30 | SALA M. FÉLIX RIBEIRO

DOUBLE BILL

LA NUIT DU CARREFOUR | MERCI POUR LE CHOCOLAT

LA NUIT DU CARREFOUR

de Jean Renoir

com Pierre Renoir, Georges Térof, Winna Winfried

França, 1932 – 75 min / legendado em português

 

MERCI POUR LE CHOCOLAT

de Claude Chabrol

com Isabelle Huppert, Jacques Dutronc, Anna Mouglalis, Rodolphe Pauly

França, 2000 – 101 min / legendado eletronicamente em português

 

duração total da projeção: 176 min | M/12

entre os dois filmes há um intervalo de 20 minutos

 

16/06/2018, 21H30 | SALA M. FÉLIX RIBEIRO

ANTÓNIO-PEDRO VASCONCELOS (I)

 

OXALÁ

de António-Pedro Vasconcelos

com Manuel Baeta Neves, Marta Reynolds, Laura Soveral, Judite Maigre, Lia Gama, Ruy Furtado, Karen Blangueron, Teresa Madruga, Adelaide João

Portugal, 1980 - 133 min | M/12a